05/08/2021 às 12:44 PARA NOIVAS

COMO NOS SENTIMOS AO CASAR | NA IGREJA | POR FERNANDA ALVES

942
4min de leitura

Se eu soubesse que 5 DIAS DEPOIS DO CASAMENTO estaríamos vivendo uma PANDEMIA, nosso casamento não teria durado 16 horas, mas sim, 2 DIAS!

O ponto de partida era a data. Eu queria fugir do frio, mas ao mesmo tempo não queria casar no auge do calor, chegamos ao consenso (deitados na nossa cama) que casaríamos no dia 14/03/2020 - aniversário do noivo. O único dia exclusivamente dele passaria a ser o NOSSO dia!

Com a data definida começamos a planejar a cerimônia e a festa. As duas únicas certezas que eu tinha eram: o fotógrafo e a pessoa que iria arrumar meus cabelos.

FORAM 14 MESES SONHANDO COM O NOSSO DIA

Queríamos que esse momento tão especial tivesse a nossa identidade, a nossa cara, o nosso jeito, sendo assim, decidimos que iríamos participar e cuidar de vários detalhes durante todo processo de organização ao lado das pessoas muito competentes que contratamos, acho que conseguimos!

O dia 14.03.2020 foi o mais quente do verão. A preparação dele foi com os padrinhos, o meu dia foi com as madrinhas, todas lá em casa para começar a produção…era um misto de alegria, emoção e realização que nenhuma palavra descreveria o que eu sentia nesse dia.

OPTEI POR ENTRAR NA IGREJA DE TÊNIS

"Tudo pronto, vou casar". Essas foram as minhas palavras antes de sair de casa. Optei por entrar na igreja de tênis, afinal sabia que se fosse usar salto alto, no fim da cerimônia já estaria com dor nos pés, e isso não combinaria com os meus planos, queria aproveitar a festa como se não houvesse amanhã, o conforto sempre prevalece nas minhas escolhas.

O carro que cheguei trazia consigo a história de uma pessoa muito especial, o Corcel 75, era o carro do meu sogro, que infelizmente não se fazia mais presente, mas que a família mantinha como lembrança do seu Darci, como era chamado. 

Porém, naquele dia, tenho certeza que ele estava na primeira fila, feliz, assistindo de camarote o caçula, o sósia entrar na igreja. Quanta emoção.

Ao chegar na igreja, achei que não fosse conseguir conter meu choro de emoção, jamais imaginei que sentiria algo tão forte, algo tão surreal e ao mesmo tempo algo tão bom, ver toda família e tantos amigos queridos ali esperando pela gente foi maravilhoso.

O TÃO ESPERADO, PRESENTE DO NOIVO

Passada a cerimônia com o Pe Pedro, os convidados foram recepcionados no Clube da cidade. As fotos da recepção falam por si, porém preciso acrescentar nessa história o presente do noivo, como falado anteriormente, o dia 14 de março também era o aniversário dele.

A dúvida era cruel…O que eu faria nesse dia para surpreender ele?! Qualquer coisa material que eu comprasse, não iria ser tão significativo, afinal era um dia de grandes emoções.

COLORADO FANÁTICO

Ele é daqueles doentes pelo Internacional.

Frequenta o estádio e faz churrasco na frente do Beira Rio. Aquele que quando o time perde, fica puto pensando em não ser mais sócio, largar tudo de mão, mas quando o próximo jogo, lá está ele, na esperança e torcida que dias melhores virão.

CONTRATEI DOIS EX JOGADORES DO INTERNACIONAL

A meia noite, apagaram-se as luzes. Pedi silêncio, disse que iria prestar uma pequena homenagem ao noivo. Todos de olho no telão, e então começou a passar o gol do Gabiru com a narração do Galvão Bueno.

Sem muito entender, surgem as feras: Gabiru e Perdigão.

Gabiru, responsável pelo gol do maior título, em 2006, que consagrou o Internacional Campeão do Mundo e seu parceiro de festa, Perdigão. Um com o bolo decorativo e o outro com a camiseta oficial do Internacional autografada por eles.

As luzes se acenderam e naquele momento, no meio do salão, começamos a cantar os parabéns. Nem eu poderia imaginar que ia ser tão intenso e emocionante.

E a reação do noivo?! 

Consegui arrancar o choro mais sincero e emotivo, pasmo, sem acreditar no que estava acontecendo, chorava de alegria e emoção. O presente tinha sido certeiro para todos os presentes!

Os dois permaneceram durante todo o casamento, curtiram, tiraram fotos, foram paparicados por todos, mas logo perderam o foco, quando as dançarinas da Escola de Samba entraram para iniciar a pista de dança.

O Gui conseguiu eternizar todos os momentos, sem que fosse percebido durante a festa, e isso é sensacional.

Não me preocupei em fazer poses, ser fotografada, sabia que o material que ele estava fazendo iria contar, através da fotografia, com todos os detalhes o nosso grande dia!

Nosso casamento foi cheio de surpresas, leve e descontraído, aproveitamos como se não fôssemos a atração da festa.

Com o passar dos anos, as fotos vão ser nossas maiores lembranças, o dia em que alguns cliques eternizaram o início da nossa família.

Se eu pudesse dar um conselho a qualquer pessoa que está na dúvida se vale a pena investir em uma festa de casamento, eu diria: apenas case e faça uma festa que seja a cara do casal!

Foi o dia mais incrível, mais cheio de emoções que vivi até hoje! 

Faria tudo de novo na mesma intensidade!

por Fernanda Alves

_____

Gostou? Comente abaixo!

E para ver esse casamento completo,

CLIQUE AQUI!

05 Ago 2021

COMO NOS SENTIMOS AO CASAR | NA IGREJA | POR FERNANDA ALVES

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

bastian Casamento em Igreja casamentos em clubes cerimônia de casamento em igreja depoimento de noivas escola de samba em casamentos ferdis e cava fernanda e franciel fotografia de casamento fotógrafo de casamento fotos de casamento fotos de casamento em igreja fotos de festa casamento gabiru gabiru e perdigão gabiru internacional guilherme bastian guilherme bastian fotógrafo internacional gabiru internacional perdigão jogadores de futebol em casamentos jogadores do internacional noivas noivas casando de tênis perdigão perdigão e gabiru presença de jogadores de futebol em eventos

Quem viu também curtiu

15 de Jun de 2018

COMO NOS SENTIMOS AO CASAR | NO APÊ | Por Thiago Sebben

13 de Mai de 2017

FOTOS PREMIADAS

04 de Jun de 2018

COMO NOS SENTIMOS AO CASAR | AO AR LIVRE | Por Carina Pelegrini